domingo, 12 de março de 2017

in loco?

Sumiços diários de consciência in loco
que pensa que é?
não pensa, na verdade,
desaparece
e se volta
volta impressionado com a volta

E somente no dia seguinte
o que antecede novo sumiço
novo escape se faz
e
ao voltar
não é mais o mesmo

que passa, pequeno garoto?
o que é que ta ruim aqui?
o presente, o passado ou o futuro?

sumo de novo

esporro

jorro palavras como quem goza
um gozo sem fim
de tanta vida concentrada no peito e que
agora
na Lua Cheia
transborda

pede vazão

eu desenho a vida abstrata
que me toca
que me toma
que me jorra
pra dentro
e por fora
por mim
e pra mim
pra quem vir

vida indiferenciada
tantos anos segregada
pede união

note que pede

pede jorro
pede gozo
pede existência

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Alta

Resultante de alegria, Marília saltou por sobre as vitórias, todas régias e caminhou iluminada pelo sol, admirada com a grandeza da vida e do viver.
Pôde escutar o desmoronamento de longe, o sorriso cortou-lhe a face, os olhos brilhavam e o coração pulsou.
Aparvalhada, chegou em frente ao portão, olhou para os lados e um porteiro sorridente lhe disse:
- Boa sorte.
Olhando o horizonte, os portões se abriram pra ela, que seguiu rumo a um mundo onde nada mais do que vivera existira, pelo menos nela.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

águas

Eu fiz o que eu pude e mesmo assim eu a vi deixando a minha casa, a mala na mão direita, a mão que ela come, e um chapéu panamá na esquerda, sua mão mais fraca. Contemplei as lâmpadas que eu quebrara minutos antes e meus olhos foram daí para os olhos de minha mulher... ex mulher... ex esposa! Ela não gostava que a chamasse de minha mulher porque ela dizia não ser minha propriedade. Sempre apreciei isso, eu adorava seu modo de enxergar o mundo, apreciava a consciência que tinha sobre as coisas, amava quando brigava comigo por divergências políticas. Por que mesmo essa mulher estava indo embora da minha casa? Eu não sabia, eu não fazia ideia. Eu também não tinha forças para tentar mantê-la, talvez por isso abaixei a cabeça, ou melhor, ela caiu do meu pescoço e senti minhas mãos desmaiarem também. Fiquei ali parado, no meio da sala, despencado como uma marionete, sem escutar nem o barulho dos carros na rua, e olha que comentávamos sobre isso todos os dias, isso e as motos de quinta-feira, que rasgavam as ruas às onze com roncos ensurdecedores. Quando me dei conta, uma lágrima saltou de dentro de mim direto para o caco de lâmpada aos meus pés, partindo-a em duas. Só então notei que ela havia voltado, pela periferia dos olhos, os dela fixos em mim. Não me movi. Ela jogou a mala e o chapéu no sofá, atravessou a sala e falou como quem comenta um dia chuvoso:
- É bom saber que você tem coração.
E sumiu escadaria acima.
Então levantei a cabeça como um gato assustado, tão repentinamente que ouvi uma vértebra estalar.
Em seguida, ela fechou a porta do banheiro e regou a minha vida.
you and me could stop this love drought

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

dizer

meu peito arde de vontade
de olhar seus olhos mais uma vez
e dizer que te amo pra sempre

sabendo que não nos teremos mais

tenho vontade de manifestar esse amor por você
te dizer olhando nos seus olhos
que você foi a melhor coisa que me aconteceu

sabendo que não será mais

dizer adeus ficando
se despedir estando
porque te quero ao meu lado

sabendo que não será como antes

que não seremos amantes
não nos veremos mais
da forma que nos víamos

eu fico de coração partido
processando o que deixou de ser
quando o que ignorávamos nos pegou

eu preciso dizer adeus
antes de dizer olá novamente
eu juro que preciso
eu preciso dizer que te amo
antes de dizer adeus
eu preciso dizer

antes que me sufoque
eu preciso dizer

sábado, 4 de fevereiro de 2017

não da pra amar

não da pra amar
sem se envolver
não da
pra amar
sem se molhar
não da
não da pra amar
não da pra amar
sem se molhar
nao da
pra amar
sem se envolver
não da pra amar
sem se entregar
não da
não da pra amar
sem se entregar
sem se envolver
não da pra amar
não da pra amar
sem se entregar
e sem doar
não da pra amar
sem se doar
não da pra amar
não da pra amar sem se envolver
não da pra amar
não da pra amar
não da pra amar
sem se entregar
não da pra amar
sem se envolver
não da pra amar
sem se molhar
sem se encharcar
não da pra amar
sem se entregar
não da pra amar
sem se entregar
sem se envolver
não da
não da
não da pra amar
não da
não da pra amar
sem se envolver
e sem trocar
e sem molhar
sem se entregar
sem se comprometer
não da pra amar
não não não
não da pra amar
não da pra amar
sem se molhar
não da pra amar
sem se entregar
não da pra amar
não da pra amar
sem se entregar
não da pra amar
não da pra amar
sem se comprometer
não da pra amar
continuando o mesmo
não da pra amar
não da pra amar
sem se mudar
sem transformar
não da pra amar
não da pra amar
sem se entregar
não da pra amar
sem se comprometer