segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Evolução


Gosto de admirar os prédios do alto de outro prédio
Gosto das luzinhas acesas e das vidas ocultas
Representação terrestre das estrelas
Que brilham admiradas
Com tanta vida escondida...

A cidade é também um bem
Menos bem que a floresta
Que é morada da magia
Mas
Diferente
É morada dos seres que não sabem que são mágicos
É o mundo que ainda não explodiu para a existência real

Ainda é caos
Passa apressada pela primavera,
ignorando as flores que nascem
e as que caem no outono
No inverno
muda a imagem e as vitrines
E utiliza o verão para vender
Não é uma pena
Somente pela experiência do erro
Se faz o Verdadeiro conhecimento

Nada no Universo está fora de lugar
Tudo acredito, está fadado a desabrochar
E, onde há explosão
Há destruição

Foi assim que o mundo começou.

Um comentário:

  1. Onde há destruição, há o recomeço... Muito bonita sua poesia!

    ResponderExcluir